Welcome

Delete this widget from your Dashboard and add your own words. This is just an example!

Orkut

Contato

Facebook

Twitter

Mulheres que marcaram a década de 50

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Mulheres que marcaram a década

Marilyn Monroe
Os personagens de Marilyn se encaixavam perfeitamente no padrão de mulher da época: linda, sedutora e não muito esperta. A loira mais famosa do período tornou-se referência de beleza ao interpretar a jovem à procura de um marido rico em filmes como Os Homens Preferem as Louras (1953) e Quanto Mais Quente Melhor (1959).

Tônia Carrero
Grande dama do teatro brasileiro, Tônia foi um dos principais nomes da extinta Companhia Cinematográfica Vera Cruz, fazendo filmes como Tico-Tico no Fubá (1952) e É Proibido Beijar (1954). Sua carreira inclui sucessos na TV.

Gina Lollobrigida
Com formas voluptuosas e ar sedutor, La Lollo tornou-se a musa latina da época. Seus papéis no cinema italiano lhe renderam o título de “mulher mais bela do mundo”, papel que acabaria interpretando no filme La Donna Più Bella del Mondo (1955).

Ava Gardner
Dona de imensos e cativantes olhos verdes, Ava Gardner representou perfeitamente a mistura de sedução e luxo da década de 1950. Foi eleita uma das maiores estrelas de todos os tempos pelo American Film Institute e tem no currículo uma indicação ao Oscar, por Mogambo (1954). Casou-se em 1951 com Frank Sinatra, formando uma das duplas mais badaladas de Hollywood. A relação, entretanto, durou pouco mais de dois anos.

Grace Kelly
Atriz que virou princesa, Grace Kelly teve uma carreira curta no cinema, mas suficiente para se tornar referência de beleza. Com maneiras requintadas e lindos olhos azuis, a estrela foi musa de Hitchcock e teve romances com Clark Gable e Gary Grant antes de se casar com o príncipe Rainier III de Mônaco. Ao esconder a gravidez usando uma bolsa Hermès, batizou sem querer a Kelly Bag.

Brigitte Bardot
Ao interpretar a ninfeta Juliette em E Deus Criou a Mulher (1956), Bardot acabava com o padrão de mulher meiga e delicada e anunciava uma nova era: de mulheres fortes, independentes e sexualmente liberadas. BB popularizou o biquíni, o xadrez vichy, o cabelo loiro comprido e armado, os dentinhos separados e as praias de Búzios e Saint-Tropez. Seu estilo jovem e despojado é referência até hoje, e pode ser notado em rostos como das tops Lara Stone e Georgia May Jagger. Há mais de trinta anos longe das telas de cinema, Brigitte é símbolo da luta pela defesa dos animais.

Rita Hayworth
A descendente de ciganos espanhóis Margarita Carmen Cansino marcou a história de Hollywood como uma de suas divas mais sedutoras. Aos 19 anos, mudou o nome e criou sua marca registrada: os exuberantes cabelos vermelhos. Rita escandalizou o mundo com seu breve striptease em Gilda (1946), foi casada com o grande diretor Orson Welles e protagonizou duas polêmicas: Salomé (1953), em que fez o personagem bíblico que pediu a execução de João Batista, e A Mulher de Satã (1953), em que interpreta uma pecadora que seduz um reverendo
Martha Rocha
“Por duas polegadas a mais, passaram a baiana pra trás…”. Assim ficaria imortalizada a fisionomia de Martha Rocha, primeira vencedora do concurso Miss Brasil, em 1954. Diz a lenda que Martha só não ganhou o título de Miss Universo devido a uns centímetros a mais nos quadris. Seja verdade ou seja invenção de João Martins, o jornalista da revista O Cruzeiro e responsável pelo boato, o que importa é que nossa Miss apresentou para o mundo a beleza brasileira que hoje é tão admirada.

Adalgisa Colombo
Eleita Miss Brasil em 1958, Adalgisa Colombo foi a segunda candidata brasileira a não ganhar por pouco o título universal, dando ao país mais uma vez a segunda colocação. Modelo de beleza e postura, estabeleceu-se como manequim profissional após o prêmio. Em 2004 recebeu uma homenagem em ocasião dos 50 anos do concurso, quando foi proclamada “Miss Brasil Inesquecível”.


Fonte: Texto da maravilhlosa reportagem de ELIS MARTINI do site http://modaspot.abril.com.br/

0 comentários:

Postar um comentário

 

Até mais!!!

Até mais!!!

Radio Vintage